Translate

1 de dez de 2012

A Verdadeira Prosperidade



Propaga-se na maioria das igrejas evangélicas a Teologia da Prosperidade, que é a crença na prosperidade financeira como sinal de sucesso do crente. Quem não tem, não está com nada. E quem tem, está com tudo.


Hoje numa das emissoras de TV, sábado, pela manhã, ouvi um pregador famoso chamar de ignorantes os pastores que não creem na Teologia da Prosperidade. Achei desnecessária aquela ofensa em rede nacional. Acredito muito na convivência pacífica entre as igrejas de diferentes linhas teológicas, desde que preguem a Cristo crucificado como Senhor e Salvador. Podemos sim viver sem guerras teológicas, ouvir e reter o que é bom, conforme nos recomenda a Palavra de Deus, mantendo nossa unidade pelo vínculo da paz.

Teologia da prosperidade, é o ensino surgido nas primeiras décadas do século XX nos Estados Unidos da América, a partir da interpretação de alguns textos bíblicos como Gênesis 17.7, Marcos 11.23-24 e Lucas 11.9-10, que os que são verdadeiramente fiéis a Deus devem desfrutar de uma excelente situação na área financeira.

O pioneiro desse movimento foi o estado-unidense E.W. Kenyon , enquanto o maior divulgador foi Kenneth Hagin, que influenciou a muitos pregadores nos Estados Unidos que ganharam reconhecimento mundial, como Kenneth Copeland, Benny Hinn, David (Paul) Yonggi Cho, entre outros. A Partir dos anos 70 e 80, a teologia da prosperidade se estendeu a muitos países, incluindo Portugal, onde se destacou Jorge Tadeu, fundador da Igreja Maná. 

Ao longo dos anos esse ensino foi abraçado principalmente por igrejas neo-pentecostais. No Brasil as igrejas que abraçaram tal ensino são: a Igreja Universal do Reino de Deus, a Igreja Internacional da Graça de Deus, do missionário R.R.Soares, os dissidentes da IURD, a Igreja Mundial do Poder de Deus fundada pelo Apóstolo Waldemiro Santiago; a Igreja Apostólica Renascer em Cristo acabou abraçando também essa teologia e muitas outras que não cabe aqui relacioná-las, pois foge ao escopo desse artigo. (fonte Wikipedia).

Em primeiro lugar gostaria de expor alguns versículos da Bíblia Sagrada que desautorizam essa Teologia. Muitos, para defendê-la, citam muito o Antigo Testamento, contam histórias de pessoas prósperas como Abraão, o rei Davi, Salomão, Daniel e muitos outros. Também se utilizam de textos na antiga aliança que falam de prosperidade. O texto preferido deles é Deuteronômio 28 que fala sobre as bênçãos e as maldições a Israel.

O que está errado com a Teologia da Prosperidade? Prosperidade não é algo bom? Ter dinheiro na conta corrente em abundância para se comprar o que quiser, comer tudo o que se desejar, ter o carrão do ano, fazendas, avião e iate para pescar não é bom? Qualquer pessoa em sã consciência, dirá que sim. Não é ruim comer lagostas e camarões, nem tampouco vestir-se com roupas caríssimas importadas.

Então, qual o problema com a Teologia da Prosperidade? É simples: ela não é a mensagem que Jesus Cristo veio trazer. Precisamos entender a mensagem de Cristo e aprender que os valores do Reino de Deus nada têm a ver com dinheiro e riquezas.

Vou escrever de forma simples este artigo para que você, leitor, mesmo sendo leigo entenda essas simples palavras, evitando estudos em teologia profunda que tornam-se bastante cansativas.

Vamos aprender com a própria Bíblia:

O Antigo Testamento, é também chamado de “Antiga Aliança”. Ele trata sobre o pacto que Deus fez com Israel para lhe ser um povo peculiar. Todas as promessas e maldições ali contidas aplicavam-se tão somente a eles e estão anuladas pela Nova Aliança feita em Cristo. Portanto, o Antigo Testamento serve apenas para o conhecimento histórico da saga de um povo escolhido por Deus, que tinham que obedecer as Leis que foram dadas a Moisés e que nunca alguém conseguiu cumprí-las, ao ponto do apóstolo Paulo chamá-la de MALDIÇÃO e dizer que quem estivesse debaixo da Lei também estaria debaixo dessa maldição. Paulo conclui em Gálatas 3:13 que Cristo nos resgatou dessa Lei Maldita, fazendo maldição por nós, porquanto está escrito “maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”.

Por isso, Paulo pôde afirmar: “Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê” (Rom. 10:4). A todos os que nEle, creem Cristo leva a um fim absoluto o uso da lei como um meio de obter justiça.

Jesus Cristo veio fazer uma Nova Aliança baseada em seu sangue, no sacrifício na cruz. Na Nova Aliança nosso relacionamento com Deus é Paterno. Agora oramos “Pai Celestial” e não mais “Deus de Abraão, Isaque e Jacó”. Estamos numa Nova Aliança baseada em laços de filiação paterna, em laços de amor.

Cristo não veio trazer uma mensagem de prosperidade financeira, mas sim uma mensagem de transformação do coração humano para que o homem caído decida substituir os seus antigos valores pelos valores do Reino de Deus. Jesus vem implantar o Reino de Deus dentro do nosso coração, vindo juntamente com o Pai e o Espírito Santo fazer em nós morada permanente.

E quanto às riquezas terrenas? O que foi que Cristo disse a esse respeito? 

Vamos ler apenas alguns versos da Palavra de Deus e deixo com você mesmo a conclusão:


1 - Mateus 6:19 Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; 20 mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam.


2 – Ao jovem rico, Jesus respondeu: “Se você quer ser perfeito, vá, venda os seus bens e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro nos céus. Depois, venha e siga-me”. Mt. 19:21

3 – Ao rico insensato, que gastou a vida juntando dinheiro, Ele disse (Lucas 12:20,21) : Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você ajuntou? Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus.”

4 – Paulo diz em II Cor. 8:9 “Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, se fez pobre por amor de vocês, para que por meio de sua pobreza vocês se tornassem ricos.” Essa riqueza é celestial, a herança dos santos que nos aguarda.

5 – Jesus diz que ao seus discípulos: Bem-aventurados vocês, os pobres, pois a vocês pertence o Reino de Deus

6 – A Igreja era pobre. Rom 15:26 “Pois a Macedônia e a Acaia tiveram a alegria de contribuir para os pobres dentre os santos de Jerusalém.”

7 – II Cor 6:10 Paulo fala a condição dos santos: “entristecidos, mas sempre alegres;pobres, mas enriquecendo muitos outros; nada tendo, mas possuindo tudo.

8 – Tiago 2:5 “Não escolheu Deus os que são pobres aos olhos do mundo para serem ricos em fé e herdarem o Reino que ele prometeu aos que o amam? “

9 – Nossa herança, segundo o Evangelho de Paulo: Colossenses 1:12 “dando graças ao Pai, que nos tornou dignos de participar da herança dos santos no reino da luz. “

10 - Nossa herança: João 17:22 Jesus ora: “Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um.”

E por fim, caro leitor, vamos aos fatos observados nas igreja de hoje. Se a Teologia da Prosperidade fosse verdadeira, não haveria crente pobre. Ou Deus seria injusto, prosperando uns e empobrecendo outros? Quando vemos as plateias das igrejas que pregam a Teologia da Prosperidade, (veja você mesmo na TV) vemos um monte de gente pobre, muito pobre, de sandálias, descalços, roupas surradas, dando o último real, dinheiro que ele estava guardando para tomar o ônibus, na esperança de que aquilo vai de alguma forma influenciar o céus em favor dele.

Conheço uma amiga, com quase 70 anos hoje. Ela serve a Deus há 55 anos, fiel, dizimista, obreira, mulher de oração. Frequentamos a igreja juntos. Ela mora de aluguel, um quartinho e uma cozinha, num lugar muito simples, tem aposentadoria de salário mínimo e continua trabalhando para garantir o seu sustento. O que está errado com essa irmã? Nada! Não há nada de errado. Tudo está certo! A prosperidade dela é superior a qualquer soma de dólares, ou carrões ou aviões. Ela vai herdar a herança de Cristo juntamente com todos os santos. Ela é rica!

Minha opinião:

Eu acredito na prosperidade financeira por esforço pessoal. Deus deu as condições para todos, os justos e injustos, inclusive: O Sol nasce para todos e a chuva cai sobre todos os quintais. Foi Jesus quem disse isso. O ateu planta e colhe e fica rico. O crente espera cair dinheiro do céu. Ouvi um pregador dizer que “Deus vai fazer aparecer dinheiro na conta corrente de muitos”. Como eu trabalhei em banco e existe muito erro contábil, se você, irmão ou irmã tiver um lançamento estranho em sua conta corrente, fale com o seu Gerente para que ele faça o estorno, porque certamente foi erro contábil. Deus não vai fazer coisas erradas em seu favor, nunca.

O caminho, e tenho dito isso aos jovens, é estudar e trabalhar desde cedo. A partir dos 14 anos o rapaz ou a moça já encontra emprego e pode estudar à noite, como eu mesmo fiz trabalhando e prosperei às custas do meu trabalho. Acho um desperdício de tempo precioso o jovem ficar só estudando e começar a trabalhar só quando se forma na faculdade. O trabalho é bom, desperta o jovem para a vida, para a luta!

E onde entra Deus nisso? O Espírito Santo é o teu ajudador. Levante-se meu irmão ou irmã. Vá à luta. Volte a estudar. Faça um curso superior, porque só prospera quem estuda e trabalha muito. Faça supletivo do primeiro e segundo grau  Depois faça medicina, engenharia, direito, tecnologia da informação, redes, o mercado está procurando bons profissionais. E Deus vai te ajudar a prosperar, com o teu trabalho.

Não espere moleza no Evangelho. Não espere por nenhuma promessa de púlpito que você vai enriquecer fazendo a “Campanha da Prosperidade”. Fuja disso, não dê o seu precioso dinheiro aos mercadores da Palavra. Essa teologia só funciona para eles que metem a mão no dinheiro do povo para comprarem carrões, viajarem para o exterior. Compram aviões, fazendas, criam cavalos de raça e comem lagostas às suas custas. Não seja mais enganado. Fique esperto. O Reino de Deus é para os pobres mesmo. Se você é pobre, dê graças a Deus. Mas vá trabalhar e estudar que a sua situação vai melhorar.

Talvez você, minha irmã ou irmão, entrou aqui nesse blog em busca de uma resposta às suas indagações do porquê Deus não lhe responde e você não prospera financeiramente. Creio que esse artigo veio para você refletir um pouco mais sobre a comunidade que está frequentando e que tipo de “cobertura espiritual” quer para a sua vida. Fuja do engano! Sem medo de ser feliz!

Pare, pense, reflita e tome a decisão. Venha para a verdade que é Cristo Jesus e Sua verdadeira Palavra.

Deus te abençoe!

Pr José Videira