Translate

28 de abr de 2013

Sua igreja talvez não seja uma igreja se…

"Queremos ir a um lugar com estacionamento amplo, que nos dê um café de graça assim que entremos. Queremos sentar em uma cadeira confortável que vibra. Queremos uma banda bombante. Queremos ver fumaça. E um laser que desenhe uma cruz na fumaça. Queremos um bom cantor para cantar coisas confortadoras enquanto ouvimos admirados. Queremos um palestrante enérgico para aliviar nosso medo da economia e que nos inspire em não mais que 20 a 22 minutos. Então queremos ir embora sem ser incomodados, ter nossas retinas scanneadas para pegar nossos filhos, e vê-los descer do parquinho, depois de terem ouvido uma lição de ninguém menos que o próprio Bob Esponja Calças Quadradas, sobre obedecer aos pais e não mentir. E, se nos sentimos assim, queremos tudo isso novamente na próxima semana. Isso é o evangelicalismo".


Essa é a paráfrase de um sermão recente de Matt Chandler na Village Church.
Um pastor de louvor e adoração visitou uma igreja local esses dias, uma pela qual até tenho certo respeito. Ele disse que não ouviu o nome de Jesus na mensagem. Já sabemos que muito do que se passa por evangelicalismo tem pouquíssimo, se é que tem, evangelho. É possível que muito do que se passa por “igreja”… não seja uma?
Aqui vão alguns sinais de que sua igreja talvez não seja realmente uma igreja.

Sua igreja talvez não seja uma igreja se…

  • Seu pastor raramente fala sobre Jesus. (Essa é fácil).
  • Seu pastor fala sobre Jesus, mas somente no estilo “siga seu exemplo”. (Você poderia ser um Mórmon ou mesmo muçulmano e pregar desse jeito).
  • As músicas de “adoração” são mais sobre como você se sente e o que você pode fazer, em oposição a quem Deus é e o que Ele fez.
  • A extensão do envolvimento de quase todos na igreja está limitada ao culto semanal.
  • Seu pastor não pastoreia as pessoas cara a cara, mas gerencia “sistemas” em seu escritório, 40 horas por semana.
  • Alguns desses sistemas são projetados para que o pastor interaja com o menor número de pessoas possível.
  • Você não se lembra da última vez que participou da Ceia do Senhor.
  • Muito do planejamento e foco na organização gira em torno de fazer um culto sensacional.
  • Você nunca ouve a palavra “pecado” por lá.
  • Você ouve a palavra “pecado”, mas apenas brevemente ou redefinida como “falhas”.
  • Você não se lembra a última vez que ouviu o nome de Jesus em uma mensagem.
  • A mensagem de Páscoa não é sobre a ressurreição, mas “novas oportunidades” na sua vida ou virar uma nova página.
  • Em feriados patrióticos, a mensagem é sobre quão grande nosso país é.
  • Nos outros fins de semana, a mensagem é sobre quão grande você é.
  • Há mais vídeos que orações.
  • Pessoas não cantam durante o culto de “adoração”, mas assistem.
  • As responsabilidades principais do pastor são coisas estranhas à Escritura.
  • Existe mais dinheiro investido em propaganda que em missões.
  • A maioria dos pequenos grupos gira em torno de esportes ou lazer, e não estudo ou serviço.
  • Você sempre se sente confortável lá.
  • Ser membro da igreja parece apenas um sistema de recrutamento de voluntários.
  • Você só encontra outras pessoas da igreja nos cultos de domingo.
Se sua igreja parece com uma ou mais dessas coisas, talvez seja uma torcida espiritual, um teatro religioso, um clube social cristão, ou alguma coisa totalmente diferente, mas, provavelmente, biblicamente falando, não é uma reunião da igreja bíblica.
Traduzido por Josaías Jr 
Pr José Videira

A IGREJA EVANGÉLICA É DE CRISTO?


A IGREJA EVANGÉLICA É DE CRISTO?

Há uma inquietação constante em meu coração que me diz que a igreja de hoje não tem a ver com o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Jesus não veio fundar uma instituição religiosa. Isso foi coisa de homens. Podemos inferir que foi o Imperador Constantino quem fundou o Cristianismo, quando o decretou a religião oficial de Roma. A partir daí surgiram as basílicas, obras monumentais caras, com todo tipo de enfeite e ostentação luxuosa, tão distante da manjedoura onde nasceu o Mestre. Ambiente tétrico, lúgubre, escuro, com velas acesas lembrando velório. Silêncio. Nenhuma voz se ouve, apenas sussurros dos desesperados procurando solução para os seus problemas que só aumentam a cada dia.

A igreja dita “evangélica” de hoje, estão apregoando de tudo, menos o evangelho. Vivemos numa sociedade de consumo. As pessoas consomem de tudo: leite, carne, biscoitos, diversão e religião. É produto de consumo. Fazem mais sucesso as melhores promoções: campanha rápida de sete dias para o sucesso financeiro. A vó feiticeira do bairro também distribui panfletos prometendo amarrar o namorado em  sete dias garantido, ou seu dinheiro de volta. Qual a diferença entre essas duas práticas? É a mesma. Sincretismo religioso. Bruxaria. É tentar manipular Deus através de uma atividade do diabo que mexe com dinheiro, que quer fazer as pessoas ricas se tão somente prostradas o adorar.

Tenho plena convicção de que Jesus não entraria em nenhuma igreja evangélica de hoje ou senão para expulsar os vendedores de óleo, rosas, chapéus, lencinhos ungidos e amuletos em geral.

Encontraríamos Cristo na esquina, sentado com o pessoal do churrasco, conversando sobre os valores do Reino de Deus e compartilhando da alegria juntamente com eles. Seria chamado de pecador, publicano, amigo de beberrões, prostitutas. O chamariam endemoninhado, que faz milagres por Belzebu, o príncipe dos demônios. Essa mesma história se repetiria hoje após dois mil anos e ele seria novamente morto.

Jesus veio trazer uma mensagem do Pai aos corações de gente simples, pobre, doentes, que estavam fora do templo, das sinagogas. Pessoas da rua. Uma mensagem de transformação. O essencial da vida para ser feliz. Veio trazer novos valores para que o homem substitua os seus antigos valores pelos valores do Reino que são melhores.

Jesus começa o seu ministério desvalorizando o que o homem mais valoriza: o dinheiro e as coisas materiais. Porque no Reino de Deus os valores são as vidas, o ser e não o ter as coisas. Ele manda ajuntar tesouros no céu e nunca na terra.

Os evangélicos só pensam no dinheiro, em comprar carro novo em prosperar em amontoar bastante dinheiro na terra, o que está totalmente fora da mensagem de Jesus. Eles vão à igreja para melhorarem de vida financeiramente. Pastores compram mansões, carrões, aviões e suas mulheres compram joias caríssimas e as exibem nos púlpitos de suas igrejas luxuosas mentindo para as pobres do salão que mal tem o que vestir ou o que comer e muitos deitam na sacola o dinheiro da condução e volta para casa a pé, achando que Deus está aprovando isso e que serão então recompensados.

Produzem pessoas maldizentes, coração duro, linguagem pesada, julgam as pessoas. As exceções são raras. Estão sempre espreitando a vida alheia e fofocando para as amigas a vida do fulano ou cicrana. “Você sabia da fulana? Não! Me fala!!!” Me diga se não é verdade!

Um pastor de terno e gravata, adentra o salão a partir de sua sala pastoral, indumentária que Jesus nunca usaria. Gritando, esperneando, tentando introduzir sua mensagem nas cabeças das pessoas, ameaçando de púlpito, revelando, cultuando anjos, mandando as pessoas gritarem e dando ordens a Deus “eu exijo meus direitos...” “eu declaro...”

O louvor é um show para demonstração de talentos. Muita gritaria, barulheira e nada de unção. Sem oração, sem consagração prévia. Promíscuos no louvor.
A falta de amor e perdão é uma marca desses “crentes”. A Bíblia está repleta de textos que falam sobre o amor e condição para sermos discípulos de Cristo: amarmos uns aos outros. Acusa-nos de mentirosos quando não amamos o irmão e declaramos nosso amor em Deus. No entanto o que assistimos são vidas magoadas, que não perdoam, guardam ressentimentos, não cumprimentam ninguém ou somente aqueles que fazem parte do seu grupelho.

 As suas mentes estão cauterizadas, não ouvem, não praticam o que ouvem e a maioria não sabe o que foi pregado no dia seguinte.

Deus não está exigindo isso de ninguém, não está marcando o ponto dos que deram o dízimo ou não deram. Esse sacrifício inútil aos domingos. Esse turismo religioso de igreja em igreja. Deus está cansado de sacrifícios.

Tenho para mim que o que é mais importante hoje e suficiente é manter a fé em Cristo, porque só Ele salva e dá a vida eterna. Isso é muito importante.

Esquecer o Velho Testamento. Ele está morto. É apenas um livro de histórias, da saga dos Judeus. Não serve como modelo, bússola para o novo modelo de adoração que Jesus instituiu.

No novo testamento, ater-se principalmente às Palavras de Cristo registradas nos quatro primeiros evangelhos. Há material ali para se pregar por séculos e ainda assim ter mais assunto.

Fazer uma reunião em sua casa com os seus. Adorar a Deus, louvá-lo, partir o pão e celebrar a vida com os mais chegados.
Convidar alguns vizinhos para um chá, compartilhar com eles e ser feliz. Isso é agradável a Deus. 

Pr José Videira

26 de abr de 2013

ONDE ESTÁ O FRUTO DO ESPÍRITO NOS CRENTES?




Palavras de Cristo, contextualizadas para a linguagem falada hoje.


"Não fique se intrometendo na vida alheia, bisbilhotando a vida dos outros e falando mal das pessoas. Que coisa feia! Você já viu a sua vida como está? Você vai ser julgado da mesma forma como está procedendo com os outros. Você vai ver quando falarem mal de você; você vai ver como é ruim. As pessoas vão te julgar, te criticar, te difamar, igualmente como você está fazendo com os outros. E porque você fica vendo um probleminha  na vida alheia se você mesmo está cheio de problemas? Deixa de ser fingido. Pare com hipocrisia. Olhe para a sua vida. Quanta coisa ruim existe dentro de você! Quantas coisas impublicáveis você já fez e faz. E como então você fica olhando para as pessoas procurando defeitos se você está cheio deles? Você quer ajudar as pessoas a resolverem um problema quando você está cheio deles? Você é um hipócrita porque fica vendo um cisco no olho do outro, mas o teu olho está cheio de pedras."

Mt. 7:1,5


O que está acontecendo com o evangelho? As pessoas estão frequentando os cultos das igrejas evangélicas ouvindo o quê? Uma pergunta clássica: “você tem a certeza da sua salvação?” Gera dúvidas. Igrejas têm-se se transformado apenas em clubes sociais. Isso mesmo. As pessoas têm necessidade de se comunicarem umas com as outras. Então, durante a semana, bate a saudade da irmã tal e do irmão fulano. Então, vamos nos encontrar na próxima reunião para matarmos as saudades. O que está sendo pregado? Não interessa muito. O que as pessoas gostam mesmo é de falar, bisbilhotar, perguntar da vida dos outros, se intrometer na vida alheia.  “Você soube do fulano? Não me diga!!!” Eu mesmo já fui alvo de más línguas dentro da igreja. Pessoas com olho mau. E como tem! Estão conversando com alguém, mas te olhando de lado, observando seus passos.


Ao final de uma mensagem, um irmão ao dar um testemunho, proclamou as Palavras : “nisso conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”. Quando o culto termina, isso tudo vira água. As pessoas não aplicam a Palavra ao coração, não desenvolvem o fruto do Espírito, têm sentimento de acepção de pessoas,  obras da carne.


Se a igreja não for lugar de acolhimento, aonde as pessoas mais problemáticas serão acolhidas? Nos sanatórios? Igreja é lugar de gente doente, quebrada, mal amada, lugar para serem acolhidas pelas pessoas que lá estão, senão estamos brincando com as Palavras de Cristo.

Se você não desenvolver o fruto do Espírito, esqueça. Fique em casa. É melhor. Fará mais bem a você e menos mal aos outros.


Gálatas 5:22-23 nos diz: "Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio..." O fruto do Espírito Santo é o resultado da presença do Espírito Santo na vida do Cristão. A Bíblia deixa bem claro que todos recebem o Espírito Santo no momento em que acreditam em Jesus Cristo (Romanos 8:9; 1 Coríntios 12:13; Efésios 1:13-14). Um dos propósitos principais do Espírito Santo ao entrar na vida de um Cristão é transformar aquela vida. É a tarefa do Espírito Santo conformar-nos à imagem de Cristo, fazendo-nos mais e mais como Ele.

Os frutos do Espírito Santo estão em direto contraste com as obras da natureza pecaminosa em Gálatas 5:19-21: "Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam." Gálatas 5:19-21 descreve a vida das pessoas, em proporções diferentes, quando elas não conhecem a Cristo e, portanto, não estão sob a influência do Espírito Santo. Nossa carne pecaminosa produz certos tipos de fruto (Gálatas 5:19-21), e o Espírito Santo produz outros tipos de fruto (Gálatas 5:22-23).

A vida Cristã é uma batalha entre as obras da natureza pecaminosa e os frutos do Espírito Santo. Como pecadores, ainda estamos presos a um corpo que deseja coisas pecaminosas (Romanos 7:14-25). Como Cristãos, temos o Espírito Santo produzindo fruto em nós e o Seu poder disponível para nos ajudar a vencer as ações da nossa natureza de pecado (2 Coríntios 5:17; Filipenses 4:13). Um Cristão nunca vai ser completamente vitorioso em sempre demonstrar os frutos do Espírito Santo. No entanto, um dos propósitos principais da vida Cristã é progressivamente permitir que o Espírito Santo produza mais e mais de Seu fruto em nossas vidas – e de permitir que o Espírito vença os desejos pecaminosos que se opõem aos Seus frutos. O fruto do Espírito é o que Deus deseja que nossa vida demonstre.... e com a ajuda do Espírito Santo, isso é possível!


Então, desenvolva esse fruto. Ame as pessoas. Abrace-as com amor. Encoraje-a, mostre que tem sentimento verdadeiro por ela. Chore com as pessoas que sofrem. E só assim você demonstrará que é um verdadeiro discípulo de Cristo.

pr José Videira


1 de jan de 2013

Previsões para 2013


MINHAS "PREVISÕES" PARA O ANO DE 2013



Acessando os sites mais importantes de nosso país, deparei-me com as previsões de cartas, tarôs, búzios, etc., e por isso resolvi também fazer minhas "previsões" para 2013 no meio evangélico.

A família será atacada como nunca pelo inimigo de nossas almas, que terá como armas as novelas, a pornografia, a violência e a corrupção generalizada. Os casamentos serão dissolvidos pelo divórcio por quaisquer motivos e aumentarão enormemente as uniões civis entre pessoas do mesmo sexo. Permanecerá em pé a casa que estiver construída e firmada na Rocha, conservando o ensino da Palavra de Deus (Js. 24.15b; Mt.7.24-27).


O casamento formal será renegado a algo do passado. Os jovens farão sexo durante o namoro e muitos deles ainda ministrarão os louvores da igreja como se tudo fosse absolutamente normal, e acham que a santidade exigida por Deus é coisa ultrapassada. Mas alguns ainda manterão suas vidas em santificação diante de Deus e oração por unção para ministrarem diante dEle a verdadeira adoração. (João 4:23)

Crescerá o número de igrejas independentes, fruto do desencanto com as lideranças obcecadas pelo poder e fascinadas pelo dinheiro. A teologia da prosperidade, o G12, a confissão positiva, as igrejas judaizantes e outros desvios doutrinários farão mais vítimas no meio evangélico. Os teólogos liberais continuarão lançando dúvidas e incertezas acerca da Soberania, Onisciência, Onipotência de Deus e tratando a Vinda Pessoal de Jesus como utopia. Por outro lado, surgirão trabalhos pequenos, sérios, diferentes das mega-igrejas e o Senhor continuará levantando apologistas que defenderão a sã doutrina (I Tm. 4.1,2).

Em 2013 a quantidade dos “sem igreja” aumentará devido às frustrações com igrejas que capitalizam sobre seus membros e prometem prosperidade, levando muitos à falência espiritual por falta de alimento sólido e financeira por não verem retorno nos desafios propostos ou investimentos em nome do Reino. Muitos “sem igreja” voltarão a congregar em igrejas sérias, pequenas, por desejarem uma vida mais saudável no plano horizontal e espiritual (Lc.12.31,32).

Os pregadores itinerantes serão mais amantes de si mesmos, infiéis nos contratos, buscando sua própria glória, sincretistas, pregando em qualquer lugar (não por qualquer preço) e desrespeitando o decoro de nossos púlpitos (II Tm.3.1-5). Conduzirão o povo ao emocionalismo, sensacionalismo e buscarão encher seus bolsos com gordas ofertas não se importando com o conteúdo doutrinário e com a sã doutrina. Todavia, alguns poucos, que têm Graça, dependerão inteiramente de Deus, aguardando a Vinda do Senhor Jesus nos ares durante todos os dias de 2013 (II Pd. 2.1; I Co. 15.10).

Os tele-evangelistas pedirão mais dinheiro em nome de compromissos com seus contratos com as TV's e inventarão novas formas de arrecadar cifras astronômicas para bancar seus jatinhos, carros blindados, mansões e viagens em volta do mundo (II Pd. 2.2,3). Todavia, outros, em sua simplicidade terão acesso à mesma mídia e conservarão o modelo humilde de suas igrejas, negando-se a inventar meios impróprios de manter seus programas no ar (II Co. 11.3).

Na música surgirão mais ídolos e menos comprometimento com o verdadeiro louvor. Haverá mais alarde que quebrantamento, muito barulho e nenhum poder. As gravadoras ficarão mais exigentes no quesito técnico-vocal e evoluirão a qualidade e profissionalismo, no entanto, as canções terão exíguo conteúdo bíblico e pouquíssima inspiração. Contudo, alguns se sobressairão no verdadeiro louvor de qualidade e farão a diferença em 2013, mesmo que suas agendas não sejam tão cheias, posto que serão procurados pelos poucos cristãos sérios que restam (Tg. 1.27).

As convenções passarão por mudanças para pior. A política será a tônica dos discursos inflamados, tomando assim o lugar central da Cruz de Cristo. Muitas alianças serão feitas em nome do toma-lá-dá-cá, sem se importarem com diferenças litúrgicas, administrativas ou questões doutrinárias. Obreiros disciplinados no passado serão perdoados, não visando o amor e restauração, mas o simples interesse por voto. Salvar-se-ão as poucas convenções sérias e remodelarão conceitos (At. 15.28a).

Haverá maior aproximação da mídia secular com a Igreja e os empresários dos músicos e cantores cristãos, ávidos de aparecerem e terem sucesso, serão usados e pagarão alto preço por deixarem a simplicidade em nome do brilho próprio (Tg. 4.4). Outros poucos terão menor visibilidade, contudo, terão mais inspiração e unção em suas apresentações, ainda que o número de seu público seja desinteressante para as redes de telecomunicação (Jo. 3.30).

Pastores, bispos e “apóstolos” eleitos escandalizarão ainda mais o Evangelho entrando em esquemas de corrupção dentro da política, recebendo propina e ainda orando e agradecendo a Deus pelo dinheiro sujo.

Meu desejo é que a maioria das minhas "previsões" não se cumpram na íntegra para o bem da família, da igreja e das convenções.

Paz para todos e um Feliz 2013 cheio do Temor de Deus.
Pr Guedes com adequações minhas

31 de dez de 2012

Devo dar o dízimo?


ideia de que o “dizimo” é devido à “igreja” é uma tentativa de fazer do mero ajuntamento cristão algo pesado, legal, estatal, religioso, como era o “Templo de Jerusalém”.

Evangelho Centrado no Homem


 


A maior parte do cristianismo evangélico hoje é fundamentado em clichês. A maior parte do que os evangélicos acreditam é ditado pela cultura secular e não pelas Palavra de Deus.
Poucos são os que encontram a “porta estreita” da qual Jesus falou. Consequentemente, as culturas evangélicas mais populares estão longe da verdade bíblica.

1 de dez de 2012

A Verdadeira Prosperidade



Propaga-se na maioria das igrejas evangélicas a Teologia da Prosperidade, que é a crença na prosperidade financeira como sinal de sucesso do crente. Quem não tem, não está com nada. E quem tem, está com tudo.

4 de jul de 2012

Existem apóstolos nos dias de hoje?


Por João Rodrigo Weronka

É curioso observar como algumas igrejas evangélicas tem facilidade em aceitar novidades. E é triste verificar a falta de empenho dos cristãos em observar as Escrituras e analisá-las com sensatez e cuidado. Triste também é saber que poucas são as igrejas que motivam seus membros ao estudo sistemático da Bíblia, ao aprofundamento teológico, a formação de grupos de estudo e discussão sobre as doutrinas cristãs e que verifiquem na Bíblia se as coisas realmente são como é pregado. 

31 de mar de 2012

Cinco principais arrependimentos de pacientes terminais

Enviado por Carlos Bezerra Jr. em 30 de janeiro de 2012
Recentemente foi publicado nos Estados Unidos um livro que tem tudo para se transformar em um best seller daqueles que ajudam muita gente a mudar sua forma de enxergar a vida. The top five regrets of the dying (algo como “Os cinco principais arrependimentos de pacientes terminais”)

21 de nov de 2011

Música Gospel e Direitos Autorais



Sempre fui contrário à proteção de louvores em entidades que lucram com os direitos autorais. Os louvores pertencem ao Autor da Vida e somente Ele tem a prerrogativa de ser o único proprietário de tudo, principalmente dos louvores que tem origem nos céus.

15 de nov de 2011

Cristianismo personnalité


“Você é especial!
Quem te deu a vida destruiu a forma, não tem outro
igual.
Você ainda não perdeu!
Você não é folha, você é alguém no coração de Deus”.

4 de set de 2011

Evangélicos sem vínculos com igrejas. É possível?

Notícia Folha, de 15/08/2011
Sobe total de evangélicos sem vínculos com igrejas
O número de evangélicos que não mantêm vínculo com nenhuma igreja cresceu, informa reportagem de Antônio Gois e Hélio Schwartsman, publicada na Folha desta segunda-feira.

23 de nov de 2010

Como identificar um falso profeta



No Sermão da Montanha, Jesus preveniu a sua igreja a respeito dos falsos profetas, que se travestem externamente de ovelhas, mas que na verdade são lobos vorazes. O Mestre por Excelência advertiu o seu povo dizendo: "Acautelai-vos dos falsos profetas[...] Pelos seus frutos os conhecereis[...]. Nem todo o que me diz Senhor, Senhor entrará no reino dos céus" (MT 7.15,16,21).

9 de ago de 2010

A Glória das Igrejas e a Glória de DEUS


Prezado leitor. Que a graça e paz do Senhor Jesus Cristo seja sobre a tua vida. Achei esse artigo interessante e de importante leitura. Espero que todos o apreciem e revejam os seus conceitos de igreja e tomem uma decisão antes que seja tarde. Não queremos ser participantes dos pecados dessas igrejas, porque o fim, será a morte eterna.

22 de jul de 2010

O processo da frutificação

Referência: João 15.1-11
INTRODUÇÃO
Israel era a vinha do Senhor. Deus a plantou. Deus a cercou de cuidados, mas Israel produziu uvas bravas. Então, agora, Jesus diz: “Eu sou a Videira verdadeira e meu Pai é o agricultor. Eu sou a videira e vós os ramos.” O Viticultor é o que planta a vinha, ele é o dono da vinha, ele é o que cuida da vinha para que ela produza grande quantidade e com excelente qualidade.
Os ramos só têm duas finalidades: eles só servem para produzir fruto ou para serem queimados. Deus, como viticultor espera frutos de nós. Nesta parábola Jesus falou de quatro tipos de ramos:

14 de set de 2009

Louvores ao homem ou a Deus?

Pouco se tem adorado a Deus.
Apesar até das boas intenções, muito do que se tem cantado nas igrejas exaltam mais a criatura do que ao Criador. Estamos vivendo um evangelho antropocêntrico, isto é, que coloca o homem no centro das atenções e se utiliza de Deus apenas como um serviçal para atender as suas vontades e resolver seus traumas existenciais.

17 de ago de 2009

Inveja

Ciúme é querer manter o que se tem; cobiça é querer o que não se tem; inveja é querer que o outro não tenha (Zuenir Ventura)
Achei este artigo muito interessante de Ruben Amorese, e gostaria de compartilhar com todos os leitores. É sempre momento de fazermos uma introspecção nas salas secretas da nossa existência e verificarmos se não padecemos se não no todo, ao menos em parte dessa doença que vai consumindo os ossos, conforme diz o livro de provérbios de Salomão.
Diferentemente da ira ou da gula, a inveja é uma condição emocional sorrateira. Ela queima como fogo de palha, por baixo, sem fumaça.

5 de ago de 2009

Caminho das Índias


Por Mary Schultze

Tenho recebido vários e-mails criticando acerbamente a novela “Caminho das Índias” e concordo plenamente com os irmãos que advertem os crentes a não assistirem esta novela. Eu a vejo porque sou pesquisadora de religião e gosto de comparar os erros doutrinários do Hinduísmo com as verdades claras da Palavra de Deus. Escrevi sobre a Reencarnação (doutrina do Hinduísmo) há alguns anos e estou enviando este artigo aos irmãos em Cristo.

Realmente, para quem não tem um bom embasamento bíblico e apologético esta novela pode ser uma tremenda armadilha no sentido de conduzir o telespectador à idolatria e à crença na reencarnação. A maneira honesta e respeitosa como os filhos se comportam diante dos pais, ao contrário do que acontece na civilização ocidental, é muito convincente para quem só vê o lado bonito do Hinduísmo, pouco conhecendo sobre o que esta religião de fato significa para a vida espiritual do seu seguidor.

25 de jul de 2009

Detalhes que me impedem de servir


Mt. 8:14 E Jesus, entrando em casa de Pedro, viu a sogra deste acamada, e com febre.
15 E tocou-lhe na mão, e a febre a deixou; e levantou-se, e serviu-os.

Parece uma cena tão sem importância. Jesus, aquele que anda sobre os mares, que criou os céus e a terra, porque a Bíblia diz que nada foi feito sem ele. Uma cena tão singela. Parece-nos tão sem importância. Se o texto dissesse que Jesus então olhou para os céus e então fez cair fogo e destruiu a cidade de Cafarnaum, todos diriam que ele era um Super-Poderoso.

Mas Jesus entra na casa de Pedro, e por esse texto sabemos que Pedro era casado, e cura a sogra dele. Ela estava com febre, e quem já esteve com febre, sabe que basta tomar um remédio barato, que a febre abaixa. Mas Jesus tocou aquela mulher e a Bíblia diz que a febre a deixou, ela se levantou e serviu-os.

16 de jun de 2009

Que história é essa de peneira na Igreja?

Outro dia ouvi de uma pessoa a seguinte frase: "pastor, Deus precisa passar uma peneira nessa igreja". Essa frase não é novidade para mim, pois já a havia ouvido algumas vezes em uma outra igreja.

A idéia da "peneira" é a de que pessoas que eu considero inferiores ou indignas do convívio cristão sejam arrancadas por Deus num processo de limpeza espiritual. Assim, a igreja fica somente com aqueles que consideramos dignos do ajuntamento cristão e as pessoas inferiores ficam do lado de fora.