Translate

28 de abr de 2013

A IGREJA EVANGÉLICA É DE CRISTO?


A IGREJA EVANGÉLICA É DE CRISTO?

Há uma inquietação constante em meu coração que me diz que a igreja de hoje não tem a ver com o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Jesus não veio fundar uma instituição religiosa. Isso foi coisa de homens. Podemos inferir que foi o Imperador Constantino quem fundou o Cristianismo, quando o decretou a religião oficial de Roma. A partir daí surgiram as basílicas, obras monumentais caras, com todo tipo de enfeite e ostentação luxuosa, tão distante da manjedoura onde nasceu o Mestre. Ambiente tétrico, lúgubre, escuro, com velas acesas lembrando velório. Silêncio. Nenhuma voz se ouve, apenas sussurros dos desesperados procurando solução para os seus problemas que só aumentam a cada dia.

A igreja dita “evangélica” de hoje, estão apregoando de tudo, menos o evangelho. Vivemos numa sociedade de consumo. As pessoas consomem de tudo: leite, carne, biscoitos, diversão e religião. É produto de consumo. Fazem mais sucesso as melhores promoções: campanha rápida de sete dias para o sucesso financeiro. A vó feiticeira do bairro também distribui panfletos prometendo amarrar o namorado em  sete dias garantido, ou seu dinheiro de volta. Qual a diferença entre essas duas práticas? É a mesma. Sincretismo religioso. Bruxaria. É tentar manipular Deus através de uma atividade do diabo que mexe com dinheiro, que quer fazer as pessoas ricas se tão somente prostradas o adorar.

Tenho plena convicção de que Jesus não entraria em nenhuma igreja evangélica de hoje ou senão para expulsar os vendedores de óleo, rosas, chapéus, lencinhos ungidos e amuletos em geral.

Encontraríamos Cristo na esquina, sentado com o pessoal do churrasco, conversando sobre os valores do Reino de Deus e compartilhando da alegria juntamente com eles. Seria chamado de pecador, publicano, amigo de beberrões, prostitutas. O chamariam endemoninhado, que faz milagres por Belzebu, o príncipe dos demônios. Essa mesma história se repetiria hoje após dois mil anos e ele seria novamente morto.

Jesus veio trazer uma mensagem do Pai aos corações de gente simples, pobre, doentes, que estavam fora do templo, das sinagogas. Pessoas da rua. Uma mensagem de transformação. O essencial da vida para ser feliz. Veio trazer novos valores para que o homem substitua os seus antigos valores pelos valores do Reino que são melhores.

Jesus começa o seu ministério desvalorizando o que o homem mais valoriza: o dinheiro e as coisas materiais. Porque no Reino de Deus os valores são as vidas, o ser e não o ter as coisas. Ele manda ajuntar tesouros no céu e nunca na terra.

Os evangélicos só pensam no dinheiro, em comprar carro novo em prosperar em amontoar bastante dinheiro na terra, o que está totalmente fora da mensagem de Jesus. Eles vão à igreja para melhorarem de vida financeiramente. Pastores compram mansões, carrões, aviões e suas mulheres compram joias caríssimas e as exibem nos púlpitos de suas igrejas luxuosas mentindo para as pobres do salão que mal tem o que vestir ou o que comer e muitos deitam na sacola o dinheiro da condução e volta para casa a pé, achando que Deus está aprovando isso e que serão então recompensados.

Produzem pessoas maldizentes, coração duro, linguagem pesada, julgam as pessoas. As exceções são raras. Estão sempre espreitando a vida alheia e fofocando para as amigas a vida do fulano ou cicrana. “Você sabia da fulana? Não! Me fala!!!” Me diga se não é verdade!

Um pastor de terno e gravata, adentra o salão a partir de sua sala pastoral, indumentária que Jesus nunca usaria. Gritando, esperneando, tentando introduzir sua mensagem nas cabeças das pessoas, ameaçando de púlpito, revelando, cultuando anjos, mandando as pessoas gritarem e dando ordens a Deus “eu exijo meus direitos...” “eu declaro...”

O louvor é um show para demonstração de talentos. Muita gritaria, barulheira e nada de unção. Sem oração, sem consagração prévia. Promíscuos no louvor.
A falta de amor e perdão é uma marca desses “crentes”. A Bíblia está repleta de textos que falam sobre o amor e condição para sermos discípulos de Cristo: amarmos uns aos outros. Acusa-nos de mentirosos quando não amamos o irmão e declaramos nosso amor em Deus. No entanto o que assistimos são vidas magoadas, que não perdoam, guardam ressentimentos, não cumprimentam ninguém ou somente aqueles que fazem parte do seu grupelho.

 As suas mentes estão cauterizadas, não ouvem, não praticam o que ouvem e a maioria não sabe o que foi pregado no dia seguinte.

Deus não está exigindo isso de ninguém, não está marcando o ponto dos que deram o dízimo ou não deram. Esse sacrifício inútil aos domingos. Esse turismo religioso de igreja em igreja. Deus está cansado de sacrifícios.

Tenho para mim que o que é mais importante hoje e suficiente é manter a fé em Cristo, porque só Ele salva e dá a vida eterna. Isso é muito importante.

Esquecer o Velho Testamento. Ele está morto. É apenas um livro de histórias, da saga dos Judeus. Não serve como modelo, bússola para o novo modelo de adoração que Jesus instituiu.

No novo testamento, ater-se principalmente às Palavras de Cristo registradas nos quatro primeiros evangelhos. Há material ali para se pregar por séculos e ainda assim ter mais assunto.

Fazer uma reunião em sua casa com os seus. Adorar a Deus, louvá-lo, partir o pão e celebrar a vida com os mais chegados.
Convidar alguns vizinhos para um chá, compartilhar com eles e ser feliz. Isso é agradável a Deus. 

Pr José Videira